Arte Popular de Ana a Zé

Arte Popular Portuguesa de Ana a Zé é um projeto que estamos a desenvolver que teve o seu início no final de 2017. Destinado à pesquisa, documentação e divulgação das artes populares portuguesas, apresenta dois objectivos fundamentais: em primeiro lugar, a construção de um arquivo digital que reúna informação sobre os principais artistas populares (do passado e do presente) através das suas biografias; em segundo lugar, pretende entender como as artes populares em Portugal respondem aos desafios da globalização, ou seja, como respondem às demandas turísticas e patrimoniais que caracterizam o mundo contemporâneo.

Nos últimos dois anos temos viajado por Portugal, especialmente pelo norte do país, para identificar diferentes agentes envolvidos no universo das artes populares portuguesas, mais concretamente artistas, investigadores e colecionadores. As entrevistas que realizamos procuram dar a conhecer as história de vida das pessoas envolvidas no universo da arte popular; ao mesmo tempo, procuramos entender como se posicionam em relação à dicotomia tradição / invenção e, adicionalmente, como vêem o futuro dos ofícios com os quais estão envolvidos. O nosso objetivo principal é perceber as transformações que ocorreram nesta forma de produção artística, e identificar como elas se manifestam nos objetos produzidos, na circulação de artistas e objetos e na sua recepção por compradores e colecionadores.

Neste artigo mostramos uma seleção de fotografias de algumas das pessoas que entrevistámos até agora. As entrevistas e biografias completas podem ser encontradas no website do projeto: www.artepopularportuguesa.org.

O projeto é desenvolvido com a parceria da galeria Cruzes Canhoto e o apoio financeiro da Direção Regional de Cultura do Norte.

Artistas por ordem de apresentação: António Ramalho, Júlia Ramalho, Adão de Castro Almeida, César Teixeira, José Correia, Querubim Rocha, Joaquim Pires e Carminda Rodrigues. Todas as fotos foram tiradas por Joana Soares e Nuno Marques.